Para além de pedir aos pares que revejam os casos de teste que criar, peça aos pares da sua equipa de teste que revejam relatórios de bugs, relatórios de teste, planos de teste, e outras formas de documentação formal criada durante o processo de teste. Quando efectua testes não funcionais pela primeira vez, seguir as melhores práticas de testes pode ajudá-lo a normalizar o seu processo de testes e optimizar a eficácia dos seus testes. Em testes não funcionais, tanto os testes manuais como os automatizados são virtualmente necessários para a maioria das equipas de teste. Se estiver a escrever casos de testes para testes não funcionais, eles podem parecer-se com os exemplos de testes não funcionais abaixo. Siga os passos abaixo para escrever casos de teste para testes não funcionais que descrevam claramente o que os seus provadores devem fazer para realizar cada teste. Ao conceber casos de teste para testes não funcionais, é importante seguir as práticas padrão dos casos de teste, tendo em mente os objectivos dos seus testes não funcionais.

  • Mas podemos dizer que alguns deles são os mais utilizados.No geral, a escolha pela utilização de determinados tipos de testes depende do projeto, cultura da empresa e da equipe que os realizam.
  • Os testadores podem realizar essa simulação usando ferramentas de teste automatizadas ou inserindo dados manualmente e executando transações.
  • A implementação de testes manuais de usabilidade proporciona às empresas uma maior percepção e ajuda a fazer ajustes que tornam a aplicação mais competitiva, algo que a automatização não pode oferecer às equipas de desenvolvimento.
  • Esses testes se aprofundam nos comportamentos do sistema, revelando possíveis gargalos, lentidão e falhas que podem afetar a disponibilidade e a funcionalidade do sistema.
  • Os testes não funcionais podem ser utilizados para testar muitos parâmetros não funcionais diferentes, cada um dos quais afecta a qualidade e a usabilidade do sistema.

● Os testes manuais permitem aos testadores oferecer uma visão humana e subjectividade sobre como o software funciona e se funciona de forma satisfatória. Isto facilita encontrar mais tarde a descrição e os resultados do caso de teste e esclarece qualquer confusão sobre a qual caso de teste se refere se dois casos de teste tiverem nomes ou descrições semelhantes. Assim que os resultados do teste estejam disponíveis, devolva o software aos programadores se os testes falharem ou se tiver identificado algum bug não funcional que precise de ser corrigido. É possível decompor o processo de teste em pequenos pedaços para facilitar o seu seguimento para os principiantes em testes não funcionais. Isto significa normalmente que já foram efectuados testes de fumo, testes de sanidade, testes unitários, integração, e testes funcionais do sistema.

Controlo de qualidade

Ao longo desse artigo, além dos testes já citados, serão apresentadas as vantagens e as ferramentas que viabilizam as suas respectivas execuções. Como referência principal, será utilizada a ISO-9126, uma norma que define características e subcaracterísticas voltadas para a qualidade de software. Se você quiser validar a funcionalidade https://anotepad.com/notes/jinqqrqj do carrinho com integração de checkout e módulo de pagamento para ver se o número de itens adicionados ao carrinho são comprados com sucesso com pagamento correto, você precisa fazer testes de integração. Teste de ponta a ponta replica o comportamento de um usuário com o software em um ambiente de aplicativo completo.

O teste de volume é um tipo de teste que existe para verificar o que acontece quando grandes volumes de dados são adicionados à base de dados de uma só vez. Isto identifica se a aplicação pode lidar com grandes volumes de dados e o que acontece ao sistema se não puder. A actualização e os testes de instalação são importantes porque os utilizadores finais devem ser capazes de instalar facilmente o seu produto, desde que estejam a trabalhar com uma máquina compatível com a mesma. O teste de carga é um tipo de teste que avalia o comportamento do software tanto em condições normais como quando se trata de cargas mais pesadas. É utilizado para determinar o quanto o software pode lidar simultaneamente sem que o desempenho seja afectado negativamente.

Criar um plano de teste

Os testes não funcionais são uma das únicas formas de garantir que o seu software cumpre estes requisitos. Os testes não funcionais melhoram e melhoram o conhecimento da equipa de testes https://br.blurb.com/user/iliner55v?profile_preview=true sobre o comportamento do produto e as tecnologias que este utiliza. Também pode utilizar testes não funcionais para optimizar a forma como gere e monitoriza a construção do software.

tipos de testes

A automatização destes tipos de testes não-funcionais será não só mais eficiente mas também mais precisa e permitirá aos testadores replicar facilmente cargas e tensões mais elevadas. Estes tipos de testes verificam geralmente o bom funcionamento do software sob forte pressão dos utilizadores, dados e tráfego, que podem ser condições muito difíceis de emular manualmente. Contudo, há também alguns inconvenientes nos testes automatizados, o que significa que nem sempre é a abordagem certa para todos os tipos de testes não funcionais. Ao escolher entre diferentes técnicas de testes não funcionais, terá de decidir se quer realizar testes manuais ou automatizados não funcionais. Os casos de testes não funcionais podem incluir testar o que acontece quando alguém tenta aceder a dados seguros dentro do sistema ou testar a rapidez com que o software é carregado no arranque. Um caso de teste é um conjunto de acções realizadas num software construído para testar se este satisfaz as condições definidas no plano do software.

Vantagens do Teste de Portabilidade

Dentro deste cenário os testes automatizados são uma das principais práticas para auxiliar na qualidade do que será entregue. Ao longo da matéria, você verá o que é um teste de software e os https://edgarlpol67778.blog2learn.com/74361743/curso-cientista-de-dados-com-horário-flexível-plataforma-própria-e-garantia-de-emprego de softwares mais comuns, suas características, exemplos de cada um deles e como automatizá-los. Para ter qualidade em seu desenvolvimento e cumprir grandes demandas, temos o desafio de produzir um processo de aplicação de sucesso. Para que isso aconteça, é preciso entender a importância de utilizar os diversos tipos de testes de software durante as etapas de desenvolvimento para garantir o seu bom desempenho.

Leave A Comment